As melhores forças especiais do mundo

Posted: April 21, 2012 in Special Forces

  São denominadas forças especiais, as unidades militares treinadas para um tipo de guerra especifico, a guerra irregular. Entram para estas forças os melhores operacionais das forças efetivas de cada país, chegando a haver até em algumas forças especiais a restrição quanto à entrada de mulheres. As forças especiais são preparadas para participar nas chamadas operações especiais: aquelas que acontecem num ambiente e circunstâncias muito pouco comuns, que requerem resposta especial por parte das forças de segurança (locais ou nacionais). Nestas situações estão incluídas a guerra não convencional, o contra-terrorismo, o reconhecimento militar e ação direta.

  A seguir apresento-vos as melhores forças especiais do mundo, não só pelo sucesso das suas missões, como também pelos métodos de treino utilizados, efetivos que compõem as suas fileiras e mesmo pela forma como o meio militar mundial as descreve.

Special Air Service

   Special Air Service (em português: Serviço Aéreo Especial) é uma força especial do Exército do Reino Unido criada em 1941, conhecida pela sua alta capacidade em condições extremas. É considerada a primeira “SOF – Special Operation Force” e criadora das operações tipo “Destroy & Run“. A SAS é das forças especiais mais respeitadas do mundo, pelo facto de ser quase uma unanimidade, assim mantendo uma influência tão grande no Ocidente como a Spetsnaz GRU da Rússia no Oriente. A SAS foi a mentora de várias forças especiais do mundo como: Força DeltaSayeret MatkalGSG 9GOESpecial Air Service RegimentKSKGIGN e etc.

  O SAS tem um regimento regular, o 22º Regimento, e os Regimentos 21 e 23 da força de reserva territorial. Os regimentos na reserva só não recebem treino anti-terrorismo e o método de treino usado com estes não é tão intenso. Geralmente atuam como “inimigos” nos treinos das tropas convencionais.

Delta Force

  Delta Force é o nome popular dado à unidade reconhecida como 1st Special Forces Operational Detachment – Delta (1st SFOD-D) criada em 1977, a principal força contra-terrorismo e de operações especiais do Exército dos Estados Unidos. Oficialmente ela é conhecida no Pentágono (Ministério da Defesa americano) de Combat Applications Group (Grupo de Aplicações de Combate). Integra o Joint Special Operations Command, e faz parte da primeira linha de combate ao terrorismo no país. A sede fica em Fort Bragg, no estado da North Carolina, onde divide as instalações com o United States Army Special Forces (Boinas Verdes). É a unidade mais sofisticada em campo que o Exército dos Estados Unidos dispõe, juntamente com o DEVGRU (United States Naval Special Warfare Development Group) da Marinha dos Estados Unidos e as unidades de suporte e inteligência do Pentágono, CIA e NSA.

  O seu principal objetivo, desde a sua criação, é agir como uma força antiterrorismo nacional, para isso foi formada usando o padrão da unidade britânica Special Air Service (SAS), que é o mais utilizado entre as Forças Especiais em todo o mundo. A Força Delta treina continuadamente com unidades especiais de países aliados, como a Special Air Service do Reino Unido e Sayeret Matkal de Israel, além de treinar unidades estrangeiras quando for de interesse político americano, como aconteceu na Colômbia. Até à pouco tempo esta unidade foi omitida pelo governo americano, mas recentemente o Pentágono mudou a postura e reconheceu sua existência, embora dados sobre seu quadro de serviço, missões que realiza, baixas e nomes, é guardado em sigilo.

Green Berets

  As Forças Especiais do Exército dos Estados Unidos, criadas em 1952, também conhecidas como os Boinas Verdes por causa de sua boina distinta de serviço, são uma força de operações especiais. As Forças Especiais do Exército estão encarregadas de seis missões principais: guerra não-convencional, defesa interna no estrangeiro, reconhecimento especial, ação direta, resgate de reféns e contra-terrorismo. Os dois primeiros enfatizam o idioma, cultura e habilidades de treino no trabalho com as tropas estrangeiras. Outras funções incluem busca e resgate de combate (CSAR), assistência à segurança, manutenção da paz, ajuda humanitária, desminagem humanitária, contra-proliferação, operações psicológicas, perseguições, e operações de combate às drogas. Outros componentes do Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos ou outras atividades do Governo dos Estados Unidos podem também especializar-se nestas áreas secundárias. Muitas das suas técnicas operacionais são secretas, mas algumas obras de não-ficção e manuais doutrinários estão disponíveis. A missão original e mais importante das Forças Especiais tem sido a “guerra não convencional”, enquanto outras capacidades, tais como ação direta, foram gradualmente acrescentadas. O lema oficial é De oppresso liber (em português: para libertar os oprimidos), uma referência a uma de suas principais missões, treinos e assessoria das forças estrangeiras.

  Atualmente, as unidades das Forças Especiais estão implantadas na Operação Liberdade Duradoura. Eles também são implantados com outros elementos de forças especiais como uma das principais forças militares americanas na guerra em curso no Afeganistão. Como uma unidade de operações especiais, os Boinas Verdes não estão, necessariamente, sob a autoridade de comando dos comandantes terrestres nestes países. Em vez disso, enquanto estão no teatro de operações, os militares podem reportar diretamente ao Comando Central dos Estados UnidosComando de Operações Especiais, ou outras autoridades de comando.

  A Special Activities Division (Divisão de Atividades Especiais), unidade altamente secreta da Central Intelligence Agency (Agência Central de Inteligência) e mais especificamente a sua elite, o Special Operations Group (Grupo de Operações Especiais), recruta soldados dos Boinas Verdes. As Forças Especiais Conjuntas do Exército e as operações da CIA voltam para o famoso MACV-SOG (The Military Assitance Command, Vietnam, Studies And Observation Group) durante a Guerra do Vietname. Esta cooperação existe ainda hoje e pode ser vista nas guerras no Iraque e no Afeganistão.

Sayeret Matkal

  A Sayeret Matkal, criada em 1957, e que significa Unidade de Reconhecimento Geral, é a unidade elite das Forças Especiais das Forças de Defesa de Israel, é considerada uma das melhores do mundo, e segundo ex-membros de outras forças especiais como: Seals, Força Delta e GIGN, é tida como a mais qualificada em antiterrorismo pela nótavel experiência que se equipara à legendária Special Air Service da Grã-Bretanha. Desde sua criação é levada muito a sério pelo governo que não liberta informações sobre a unidade. Esteve na operação Cólera de Deus que é retratada no filme Munich de Steven Spielberg, e também atuou na Operação Entebbe que por muitos especialistas é considerada a missão de resgate mais complexa e perfeita de todos os tempos. Nesta operação o tenente coronel Jonathan Netanyahu foi morto por uma rajada de metralhadora, ele era irmão de Benjamin Netanyahu, ex-primeiro ministro israelita. A Sayeret densenvolve milhares de táticas e treina constantemente em tempos de paz, com outras forças especiais de mesmo nível: SAS, GSG 9 e etc.

Navy Seals

  Os Navy Seals, unidade criada em 1942, são a principal força de operações especiais da Marinha dos Estados Unidos e parte do Comando Naval de Operações Especiais (NSWC) como também um componente marítimo do Comando de Operações Especiais (USSOCOM).

  A sigla da unidade é derivada de sua capacidade em operar no mar (sea), no ar (air) e em terra (land). Na Guerra ao Terror, os SEALs foram utilizados quase exclusivamente em operações terrestres, incluindo ação direta, resgate de reféns, antiterrorismo, reconhecimento especial, guerra não-convencional e operações de defesa interna. Sem exceção, todos os SEALs são membros do sexo masculino, seja da Marinha ou da Guarda Costeira.

GSG 9

  GSG 9 der Bundespolizei ou Grenzschutzgruppe 9 (Grupo 9 da Guarda de Fronteira) é a unidade de resposta contraterrorista da Policia Federal Alemã (Bundespolizei), criada em 1972 e considerada uma das mais eficientes do mundo.

  Depois da falha histórica da policia alemã que deu origem ao Massacre de Munique houve uma reforma na organização baseada nos modelos das forças operacionais especiais inglesas como o SAS, mas principalmente nas forças especiais israelitas – Sayeret Matkal no inicio – que originaram então o grupo, que seria designado para lidar com situações semelhantes, vindo a ser aos dias de hoje, uma das forças-tarefa policial mais eficiente e reconhecida do mundo. A conexão criada nesse periodo de treinos com os israelitas foi tão forte que se mantém até os dias de hoje. Atualmente, por exemplo a Unidade Especial de Policia da Guarda de Fronteira Israelitas - Yamam/Magav - uma unidade experiente que raramente treinam com unidades estrangeiras, mantém um estreito intercâmbio de treino com a GSG 9.

GOE

  O Grupo de Operações Especiais (GOE) é uma unidade antiterrorista da Polícia de Segurança Pública de Portugal. Fundado em 1979, com o auxilio de instrutores do SAS do Exército Britânico, o GOE foi uma das primeiras forças antiterroristas do mundo e uma das poucas de estatuto inteiramente civil.

  Esta força especial é destinada a combater situações de violência declarada, cuja resolução ultrapasse os meios normais de actuação, como o caso de acções terroristas, sequestros e alterações da ordem pública. É também empregue na protecção de instalações e na segurança de altas entidades e em outras situações que coloquem a segurança nacional em perigo. Para se entrar nesta força de elite, além de se ter que ser já agente da Polícia de Segurança Pública (PSP), é preciso estar em excelente forma física e psicológica, sendo apenas os melhores recrutas escolhidos. Devido à selectividade do recrutamento, o GOE possui apenas cerca de 200 efectivos.

KSK

  Para terminar, apresento-vos o Kommando SpezialKräfte (KSK) é uma unidade de operações especiais do Exército alemão. Criado entre 1994 e 1995, aproximadamente 20 soldados foram treinados no outono de 1996, e a unidade estava completamente operacional em abril de 1997. De acordo com relatórios, o impacto de ver 11 cidadãos alemães serem salvos por forças estrangeiras (pára-quedistas belgas e franceses) em Ruanda em 1994, porque não havia nenhuma unidade alemã capaz de realizar tal operação foi o principal fator para se criar o KSK. Para completar o seu efetivo foi retirada uma companhia de comando de cada uma das três Brigadas Aerotransportadas, juntamente com o reforço das 2 Companhias de Reconhecimento de Longo Alcance (a 3ª foi desmobilizada). A unidade planeia estar completamente operacional quanto atingir a dotação de 1.000 operadores completamente treinados. O KSK é moldado de acordo com o SAS. Apesar de sua capacidade resgate de reféns o KSK é uma unidade militar, com missões militares, e não outra GSG-9. O KSK poderá ser enviado para onde o GSG-9 não pode (pelo menos oficialmente), como já aconteceu no passado (o resgate de um avião da Lufthansa no Aeroporto de Mogadishu, Somália em outubro de 1977, por exemplo). Mesmo assim o KSK mantém uma equipa de Resgate de reféns pronta para auxiliar a polícia alemã sempre que necessário.

Patrocinado por:

About these ads
Comments
  1. joaofmoco says:

    Das forças especiais portuguesas, o gajo que fez este artigo teve de escolher o GOE como a melhor força especial portuguesa. Então e os Rangers, e os Comandos?!

    • RosdeT says:

      “Rangers” era o nome popular que se deu às FOE, que treinavam no CTOE de Lamego. Hoje em dia o CTOE já não forma forças especiais, mas sim treina as existentes.
      O regimento dos comandos, do exercito português, ficou famoso durante a guerra colonial portuguesa, na altura sim, eram das melhores forças especiais existentes, mas como actualmente têm caído em desuso, caíram também alguns lugares nesta lista. Para não falar do facto do objectivo ser colocar apenas uma força de cada país. Os GOE actualmente são a força mais selectiva no país, e pesou o facto de serem não-militares e treinarem com mestres de Krav Maga, SWAT e SAS. Mas ninguem está a colocar em causa a reputação dos Comandos Portugueses, talvez a força especial com mais reputação em Portugal, e pelo que ouvi dizer estão a renascer. Vamos ver! :)Obrigado pela preferência e compreensão.

      • Oh meu enorme, quem te disse a ti, que o CTOE nao forma tropas especiais? Para além dos militares do exercito poderem lá frequentar o curso, os próprios gioe, anteriormente conhecidos como coe, frequentam lá o curso de formação.

      • RosdeT says:

        Caro Patrick Marques, primeiro que tudo agradeço pelo “enorme” com que me adjectivou.
        Segundo, queria aqui salvaguardar a semântica usada, visto que ao que parece fui mal interpretado. O C.T.O.E. (Centro de Treino de Operações Especiais) ou CIOE (Instrução, como já foi chamado), treina as forças especiais já existentes, sejam aéreas, terrestres ou maritimas. Quando disse que já não FORMA era no sentido de que já não CRIA nem MANTÉM de raíz qualquer força especial, APENAS dá formação (cursos e estágios) a militares já existentes, albergando-as durante o decorrer dos cursos. Por isso, não estamos em contradição.. sendo um centro de treino e de instrução, continua a dar formação aos militares existente, logo forma.

        P.S.- Queria também sublinhar que toda a informação que passo tem fonte fidedigna e pode ser confirmada junto do Quartel de Santa Cruz ou pelo numero 254 655 144

        Para consulta dos cursos existentes, visite: http://www.exercito.pt/sites/CTOE/Formacao/Paginas/default.aspx

        Obrigado pela visita. Abraço :)

  2. LUís says:

    Duas coisas:
    1 – A foto que colocou na “Delta Force”, é uma foto dos SEALS que morreram em combate na operação “Redwing” em 2005, e que incluem também alguns que morreram a bordo do CH-47 de resgate. O único sobrevivente, Marcus Luttrell, está na foto também.
    2 – Em lugar de algumas das suas sugestões de melhores forças especiais do mundo, eu incluiría a Sayeret Matkal de Israel, KSK alemã, os comandos de montanha da Índia (verdadeiros super-homens!) e sobretudo a FSK norueguesa e a Spetsnaz russa. Abraço.

    • RosdeT says:

      1 – Por esse facto lamento, e já actualizei a foto;
      2 – A Sayeret Matkal e a KSK estão incluídas no texto :) quanto às restantes forças de que falou, também são eficientes mas as que estão mencionadas têm prémios e resoluções que atestam o estatuto que austentam. De resto, se falássemos em todas as forças especiais existentes o texto daria para um livro. Obrigado pela preferência

  3. Paulo says:

    Um curso do GOE pode iniciar com 100 candidatos e por norma termina apenas com 4 ou 5 ou até nenhum se for o caso. Já os cursos de Comandos e Rangers não tem essa selectividade e não são usados em situações de combate ao terrorismo com tomadas de reféns, o que requer elevada preparação e especialização.

  4. Felipe says:

    E os CIGS?? do Brasil,onde nenhum estrangeiro conseguiu passar nos treinamentos?

    • RosdeT says:

      “os” CIGS nao existem. Existe sim o CIGS, que é um Centro de instrução para a guerra na selva. Este centro forma militares do Comando Militar da Amazónia. Este sim um comando de forças especiais. Obrigado pela preferência

      • Lucas says:

        não é um comando de forças especiais, e sim uma infantaria especializada em guerra e sobrevivência na selva, muito supervalorizada por sinal!
        o comando de forças especiais fica em Goiania e são bem diferentes de uma infantaria de selva!

    • Lucas says:

      mais de 300 militares estrangeiros e inclusive 1 jornalista e explorador de origem polonesa já concluiram esse curso!
      isso de falar que estrangeiros nunca concluiram e mentira e pura arrogância dos soldados brasileiros!
      o curso é excelente e durissimo não resta dúvidas, mas tambem existe muitos mitos sobre ele!

      • RosdeT says:

        amigo Lucas, o CIGS, criado em 1964, é um centro de instrução militar com sede em manaus, estado de amazonas. e acredite que serve o comando militar da amazonia. pode perguntar ao comandante alfredo jose ferreira dias, se quiser mais informações.
        por falar em goiania, como comandos militares tens o CBOE e o CMP. abraço
        obrigado pela preferencia :)

      • Jô. says:

        Na verdade parece que realmente muitos participaram do curso, mas só brasileiros passaram por todas as fases. Depois de ser feita uma seleção, existe a fase da sobrevivência e resistência e por ultimo a parte técnica e tática de combate. Essa ultima fase somente os brasileiros conseguiram participar. Não sei se é proposital para que ninguém de fora aprenda nossas técnicas de combate ou se realmente a resistência dos soldados da amazônia realmente é bem maior. Afinal a grande maioria é de índios ou caboclos amazônicos que já vivem desde criança as dificuldades do terreno. Estou ciente que os estrangeiros que lá estiveram têm grande capacidade de combate e técnica, só que o terreno é diferente, a umidade é alta, a temperatura também e alta, a alimentação é estranha… muita coisa diferente de seus países de origem. Algumas unidades da França, Estados Unidos e Holanda que treinam em outros países da América do Sul, acabam conhecendo o terreno, a temperatura a umidade, mas ai não aprendem nossas táticas. Ou seja, não tem como eles serem iguais. Outra coisa é a quantidade. Qual país no mundo possui tropa de selva tão grande? Se algum pais pretende fazer frente a uma força, por mais bem equipada é técnica que seja essa força, ela também tem de ter um tamanho compatível com o adversário. Se não tiver técnica usa-se pessoal e armamento em demasia e se destrói a área a ser ocupada; ou se tiver muita técnica e pouco pessoal, poderá efetuar ataques pontuais, mas não terá como ocupar o terreno. Portanto somos provavelmente a maior e melhor força de combate de selva do mundo. Só para comprovar o fato de que realmente não houve estrangeiro que concluiu o curso, o jornalista citado não poderia fazer a parte de combate de selva por ser civil.

  5. nelson jose martins says:

    Gostaria de dizer que em africa ja existe forcas especiais capazes de cumprirem missoes de qualquer calibr

    • RosdeT says:

      Boas,
      E desde já obrigado pela visita. Eu tambem, como africano gostaria de dizer o mesmo, mas como deve saber estes rankings sao feitos através de daods, ou seja, missoes efectuadas e o grau de eficacia. Acredito que em Africa, como em todos os continentes haja forças especiais capazes, mas capacidade ainda não é estatuto, pelo que talvez com algumas missoes internacionalmente reconhecidas venhamos a ter forças especiais africanas no topo destes rankings. Mais uma vez Obrigado :)

  6. ranger says:

    estas enganado o ctoe ainda forma novas forças especiais e treinas, n sei de onde vei tanta desinformaçao, ainda em 2012 fizeram concursos internos no exercito para quem quisesse ingressar nos rangers, so nao fizeram concursos externos pk nao havia muitos homens a tentar entrar.

  7. ranger says:

    informa te melhor rapaz sobre as nossas tropas especiais. os comandos os paraquedistas e os rangers que ainda existem e ainda formam novas forças especiais que estão bem treinadas so que como portugal é um pais “pequeno” ou seja não têm grande influencia no mundo e temos pouca tecnologia militar e ainda nao foi necessario a atuaçao das nossas tropas especiais numa situaçao que se saiba nas noticias e que englobe o mundo. e so para informaçao eu estou nos rangers.
    nao fales do que nao sabes pfffffffffff

  8. ranger says:

    as nossas forças especiais estao treinadas para tudos para resgate e anti terrorismo. *** informem se antes de falar.
    por exemplo o paulo que n sabe do que fala

    • RosdeT says:

      sr “ranger” se é ranger sabe bem que o CTOE mudou de nome em 2006. Antes era um Centro de Instrucao de Forças Especiais, porque instruia novas forças, agora e desde essa altura é um Centro de Tropas, ou seja treina as tropas nacionais existentes.
      Se é ranger sabe bem que “ranger” é uma alcunha das tropas que treinam no CTOE, apenas porque tambem foi aqui que treinavam os antigos rangers. O nome oficial dos actuais ragers é simplesmente CTOE.
      E nao os coloquei nesta lista porque no CTOE treinam variadas tropas e existem variados cursos.
      Se colocasse Lamego, teria de colocar Carregueira e Tancos, e ja estariamos a falar de uma lista de escolas. Obrigado pela compreensao e preferencia :)

  9. Battler says:

    E a SPETSNAZ , COMANDOS , GRUMEC…

  10. RosdeT says:

    A Spetsnaz é uma força especial usada pelo FSB (ou seja, serviços secretos russos), quando é necessário levar a cabo trabalhos secretos e por norma, que não agradam à maioria da sociedade. A lista que criei é uma lista que contém as melhores forças mundiais na execução de missões em prol da humanidade e da vida humana. Missões designadas para tirar a vida a alguem não contaram para este ranking.
    A GRUMEC tambem é um bom grupo de forças especiais, mas por ser um batalhao de mergulhadores, tem um papel muito limitado dentro de uma determinada missão, sendo muito especifico não preenche os requisitos para constar nesta lista.
    A questão dos Comandos já foi tratada mais acima.. Obrigado pela visita e preferência :)

  11. marco says:

    e porque não falar da nossa D.A.E esses sim podem ser considerados forças especiais e são bem treinados .

  12. leonardo venamcio teodoro says:

    obs:gostaria de ser da forca delta do brasil ‘como proceder

    • RosdeT says:

      Boas Leonardo, não existe força delta no Brasil. força delta é um nome popular dado à 1st special forces operational detachment – delta, a principal força contra-terrorismo e de operações especiais do exército dos estados unidos. no entanto há imensos grupos de operacoes especiais pelo brasil fora, tanto no exercito como na policia, basta pesquisar. abraço

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s